Contra o fechamento do curso de licenciatura em ciências sociais do IFTM

A ANECS repudia o fechamento do curso por ação do IFTM e do MEC!Precisamos de mais e não de menos cursos.Nossa apoio aos companheios e companheiras do Instituto Federal do Triângulo Mineiro e ao CA Florestan Fernandes que os representa!

“NOTA OFICIAL C.A. “FLORESTAN FERNANDES”

O Centro Acadêmico “Florestan Fernandes”, do curso de Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais do Instituto Federal do Triângulo Mineiro Campus Uberaba, vem manifestar-se sobre a informação do fechamento do curso.
Após alguns alunos detectarem no sítio do IFTM que o curso de Licenciatura em Ciências Sociais não estava entre os oferecidos pela instituição no processo vestibular de 2013, o coordenador Wagner Jacinto de Oliveira foi questionado e no dia 17 de Setembro de 2012, em reunião com os alunos no auditório da Unidade I, justificou o fechamento do mesmo face a ingerências da SETEC (Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica) do Ministério da Educação. De acordo com o coordenador Wagner, a SETEC justificou o fechamento do curso sob o argumento do mesmo não constar em seu catálogo de oferta de cursos. Além disso, as Ciências Sociais, como curso da área de humanas, não está entre as prioridades dos Institutos Federais, que cujo foco seria educação profissional e tecnológica.

Os alunos do curso de Ciências Sociais, em reuniões e assembleias, resolveram se mobilizar e trabalhar pela manutenção do curso de Licenciatura em Ciências Sociais no IFTM, e fazem pelos motivos abaixo elencados:
• Os Institutos Federais possuem autonomia para abertura e fechamento de cursos. Além disso, é premissa para sua existência o oferecimento de cursos de licenciatura, de acordo com a Lei n° 11.892, de 29 de dezembro de 2008.
• A política pública educacional do governo federal prioriza os cursos de formação de professores. Reiteradas inserções na mídia vem dando destaque ao fato de que o governo federal até paga a um estudante que queira cursar uma licenciatura e dar aulas em escolas públicas. Logo, não se justifica o fechamento de um curso de licenciatura numa instituição federal de ensino.
• Não existe justificativa pautada na falta de demanda na formação de professores habilitados em Ciências Sociais. A disciplina de Sociologia tornou-se obrigatória no ensino médio de todo o país, e não existem profissionais formados na área capazes de atender todas as escolas. Em Uberaba, a disciplina vem sendo ministrada por professores habilitados em história, geografia, letras, direito e outros, totalmente alheios à formação das Ciências Sociais. Além disso, a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1446/11, do deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), que estabelece a competência exclusiva para o ensino da Sociologia aos licenciados em Sociologia, Sociologia Política ou Ciências Sociais, ampliando ainda mais a necessidade de licenciados.
• O investimento para a criação de um curso de graduação numa instituição federal de ensino como o IFTM é alto. Foram gastos recursos públicos, houve um alto investimento humano (alunos, professores) para a implantação e funcionamento do curso de Ciências Sociais. O fechamento do curso, sem nenhum argumento sólido capaz de justificar a adoção de tal medida é, no mínimo, malversação do dinheiro público.
• O curso de licenciatura em Ciências Sociais do IFTM (campus Uberaba) já formou duas turmas. Todos os alunos que prestaram o último concurso público do estado de Minas Gerais para professor de Sociologia foram aprovados, obtendo inclusive a primeira colocação no concurso. Além disso, diversos licenciados em CS pelo IFTM já estão nas salas de aula das escolas estaduais de Uberaba, como professores de Sociologia designados.
• Atualmente, o curso conta com 38 bolsas do PIBID (Projeto Institucional de Iniciação à Docência) ligado a CAPES, bolsas do PIBIC (Projeto Institucional de Iniciação Científica), publicações científicas de alunos, participação em congressos e encontros, premiações e projetos de extensão em fase de implantação, com investimento pessoal de alunos e professores.
A medida extrema de fechamento do curso de Ciências Sociais pelo IFTM Campus Uberaba foi tomada sem qualquer discussão com a comunidade acadêmica (alunos, professores) e a comunidade uberabense. O Instituto Federal do Triângulo Mineiro é uma instituição pública de ensino, e como tal deve prestar contas de suas ações à comunidade. Medidas de gabinete e decisões tomadas a portas fechadas por poucos (ou um só) não podem ser admitidas no estado democrático de direito. O IFTM não é uma instituição particular, onde as decisões são tomadas pelos donos do dinheiro sem qualquer discussão, e o fechamento do curso de Ciências Sociais ou de qualquer outro não pode ser decisão de bastidores nem prerrogativa de uma caneta apenas!

VAMOS À LUTA CONTRA O FECHAMENTO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO IFTM. É momento de deixarmos de lado nossos projetos individuais e o espaço privado, e lutar pela instauração de um verdadeiro espaço de política, que é público, no sentido empregado por Hanah Arendt. O IFTM é a casa dos brasileiros que trabalham diariamente e contribuem para os milhões que são repassados anualmente, e têm direito a EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE PARA TOD@S.

Uberaba(MG), 27 de Setembro de 2012″

Anúncios

Publicado em 13/10/2012, em Regiona Sudeste. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: